26 outubro, 2007

Se vira nos 30

Já dizia o sábio Lavoisier, "nada se cria, nada se perde, tudo se transforma." Não sabia ele que sua mais célebre frase seria aplicada as situações inusitadas e parafraseadas, "na televisão nada se cria, nada se perde, tudo se copia."
Na televisão brasileira é impressionante o quão contraditório é o que dizem. Vivem admirando e aplaudindo a criatividade brasileira, sempre enfocando o gentinho brasileiro de fazer tudo.
Nos programas televisivos fico espantado com a criatividade de nossos produtores em dar seu gentinho brasileiro em copiar programas, e o pior na minha opinião, descer o nível de qualidade em relação o original.
Cito como ilustração o programa "Se vira nos 30", que a intenção seria mostrar novos talentos e no entanto foi adaptado para mostrar um show pejorativo da maior qualidade de nossa nação, a criatividade. Cada apresentação que se segue parece mais com um argumento da nossa incapacidade de realizar algo extraordinário.
Vemos um show de bizarrices, carregado de ridículo. Como se não bastasse o apresentador agrava a situação. Confesso que é engraçado, mas não sinto orgulho no que vejo.
Deveriamos valorizar nosso invejável talento ao preço de inestimável.
Abaixo há um vídeo da versão original do "Se vira nos 30" o "America's Got Talent". Não é criativo mas é uma apresentação de ilusionismo original.

"Um gênio criativo não pode ser treinado. Não existem escolas para criatividade..."
(Ludwig von Mises )


Postar um comentário